sexta-feira, junho 08, 2018

[Resenha] Império das Tormentas - Jon Skovron

Império das Tormentas
Império das Tormentas #1
Autor: Jon Skovron
Editora Arqueiro
368 Páginas
Skoob


Sinopse: Em um império fragmentado, circundado por mares selvagens, dois jovens de culturas diferentes se unem por uma causa comum.
Uma menina de 8 anos é a única sobrevivente do massacre de sua vila por biomantes, uma das mais poderosas forças do imperador. Batizada com o nome de seu vilarejo para nunca se esquecer do que perdeu, Bleak Hope é treinada em segredo por um mestre guerreiro para se tornar um instrumento de vingança.
Um estranho garoto de olhos vermelhos fica órfão nas esquálidas e sujas ruas de Nova Laven, mas é adotado pela pior pessoa que o destino poderia lhe apresentar: Sadie Cabra, uma das criminosas mais infames do submundo. Batizado como Red, ele é treinado para ser um exímio atirador de facas - além de ladrão, mentiroso e trapaceiro.
Quando um senhor do crime estabelece um acordo de poder com biomantes para tomar o controle do submundo de Nova Laven em troca da miséria da população, as histórias de Hope e Red finalmente se cruzam. Seja por honra ou vingança, essa improvável aliança os levará para a maior batalha da vida deles.
Jon Skovron marca aqui o início da trilogia Império das Tormentas, uma fantasia embalada por uma espadachim habilidosa, piratas, vigaristas, jogos de poder e revolução.
Sabe aquele livro que você termina de ler e não tem muito o que falar? Me sinto assim com relação à Império das Tormentas, do autor Jon Skovron. O livro publicado recentemente pela a Editora Arqueiro é mais uma fantasia que promete muito, cumpre seu papel, mas que acaba sendo apenas mais um livro na estante. Como leitora de fantasia tenho me deparado muito com livros assim, o que me faz sentir falta daquelas leituras que me surpreendem e que inevitavelmente se tornam favoritas.

Império das Tormentas nos leva a conhecer dois personagens com muito em comum, mas totalmente diferentes. Tudo começa quando uma menina se vê sobrevivente de um cruel ataque a sua vila, depois de escapar ilesa por estar no lugar certo na hora certa, ela é resgatada por marinheiros ela recebe o nome de Black Hope. Deixando para trás seu passado menos o desejo de vingança Hope é treinada em segredo por um mestre da Ordem Vichen, monges guerreiros que aceitam apenas homens em sua ordem e que vivem isolados. Do outro lado da moeda temos Red, depois de perder os pais ele passa a viver na rua e acaba adotado por Sadie Cabra, uma criminosa do submundo que vai treinar o rapaz para ser um exímio mentiroso e ladrão. Quando o destino desses personagens se entrelaça eles descobrem que o que estão combatendo é bem mais perigoso do que julgavam no início.
"Apesar disso a cultura criada pelo autor é rica, principalmente em se tratando dos subúrbios que ele nos apresenta e a diferença das "castas", a capacidade de ambientação de Skovron é uma das melhores coisas da trama. "
Com uma narrativa peculiar Jon Skovron apresenta personagens bem construídos, apesar de previsíveis. Algo que me incomodou no começo tem haver exatamente com essa peculiaridade. A linguagem que o autor apresenta no livro é cheia de gírias, criadas por ele mesmo, e apesar de ser fácil compreendê-las desde o primeiro momento, não me soou agradável, como se toda vez que lia alguém falando sentisse um incomodo, dá para comparar a um disco arranhado. Também tive a impressão que faltou certa química na relação entre todos eles, não dá para sentir que a amizade que compartilham é mesmo tão forte e enraizada, apesar de ser que autor tenta nos passar.

Entretanto este defeitos não atrapalham muito no desenvolvimento da história, que por sua vez foi trabalhada de forma a conduzir o leitor até o fim. Na maioria do enredo o autor conseguia me deixar curiosa com o desenrolar dos fatos, alguns dos detalhes mais importantes eu ansiei por descobrir, ou seja, acho que mesmo sendo bastante previsível na construção dos personagens o autor não foi ao desenvolver sua história, ele conseguiu me surpreender diversas vezes. Além disso, a cultura criada pelo autor é rica, principalmente em se tratando dos subúrbios que ele nos apresenta e a diferença das "castas", a capacidade de ambientação de Skovron é uma das melhores coisas da trama.
"- Se você acredita que vai conseguir, sempre há uma chance de conseguir. Mas se acha que vai fracassar, vai fracassar sempre. Nunca se permita perder antes de começar."
Enfim, O Império das Tormentas é como eu já disse mais uma fantasia que cumpre o que promete entregando uma história curiosa e interessante, mas que não acaba se destacando no meio de tantas outras já criadas por outros autores. Só acho que tá faltando algo mais na literatura fantástica. mas tenho que dizer que o autor conseguiu me deixar curiosa com o desenrolar dos fatos e to só esperando Red mostrar a que veio.



9 comentários:

  1. Eu tenho pouco contato com fantasia, mas estou procurando algumas histórias que me chamem atenção.
    Fiquei intrigada com essa história, ao mesmo tempo que sinto receio em não gostar.
    Acho que a fantasia tem que ter um início bem explicativo por conter elementos e palavras que muitas vezes não existem.
    Que o próximo seja melhor.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu sempre fico encantada lendo resenhas desse livro, como essas duas crianças já têm tantas responsabilidades nas costas. Amo fantasias e essa tem tudo pra ser um daquelas que te prende até o fim da leitura. Realmente eles são tão diferentes e ao mesmo tempo tão parecidos, acho que o autor mandou bem juntando essas duas histórias. O Red pode ser a grande ajuda que a Hope precisa para se vingar mas acho que essa história vai tomar outro rumo.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ju.

    O autor foi bastante objetivo ao criar essa história de vida em comum, que só intensifica esse laço entre os personagens, e é o que resulta no objetivo final, podendo ambos usarem o que sabem para alcançar o mesmo...

    ResponderExcluir
  4. Esse sentimento de vazio é tão dúbio. Pode ser ótimo quando o livro encanta prende e se torna fav mas pode ser ruim quando o livro é apenas mais um lido. É o caso desse não é?
    Ultimamente tenho lido mais fantasias e até agora a experiência tem sido muito boa

    ResponderExcluir
  5. Gosto demais do gênero, mas realmente faz falta um enredo que de fato, surpreenda! Nos últimos tempos, anda tendo uma espécie de avalanche com livros de fantasia que ficam ali, no mais do mesmo e isso acaba dando aquela desanimada.
    Ainda não li este livro, mas na época do lançamento, os comentários não foram tão positivos, talvez por isso mesmo, trazer o mesmo reino, a mesma espécie de personagens, sem algum tipo de inovação.
    Mesmo assim, ainda quero tirar minhas próprias conclusões!
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Confesso que achei graça nesse livro mais pelo gênero que por ansiedade de ver como é a história. Não me chamou tanta atenção. E se cumpre o prometido, uma fantasia legal e tal, bem escrita, pode ser bom. Mas os clichês e os defeitinhos que falou me deixaram meio pé atrás. Sei lá, essas coisas até que não me incomodam tanto porque gosto de ler pra ver onde vai dar, se no fim das contas vale a pena, mas quando já não me chama atenção aí nem animo. Não sei se iria ler esse livro. Parece bom, mas parece mais ou menos também =/

    ResponderExcluir
  7. Ju!
    Gostei de ver que é um livro de fantasia um pouco diferenciado, com linguagem própria e uma história, pelo menos para mim, inédita. Não gostei muito da ânsia de vingança da protagonista, mas acredito que dê para encarar a leitura.
    Uma semana cheia de luz e paz!
    “Sou uma pessoa insegura, indecisa, sem rumo na vida, sem leme para me guiar: na verdade não sei o que fazer comigo.” (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO - 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ju!
    Sei bem como é o sentimento "mais do mesmo" ao terminar uma leitura, sem dúvida é algo muito frustrante...
    Em relação a trama de Império das Tormentas, fiquei curiosa para saber mais sobre Hope - sua sede de vingança e se ela irá conseguir realizá-la - e sobre Red, mas como se trata do primeiro livro de uma série vou esperar os lançamentos dos próximos volumes para ler resenhas sobre eles e só então decidir se lerei ou não a serie Império das Tormentas... Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ju!!
    Gosto muito de livros de fantasias e que tenham muita aventura para prender a atenção dos leitores. E infelizmente muitos dos livros que tenho lido recentemente são boas histórias mais não são "aquela história" que me faz perder horas de sono para saber o que acontece a seguir.
    Bjos

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário, ele será respondido assim que possível :)