segunda-feira, março 13, 2017

[Resenha] Meio Mundo - Joe Abercrombie

Meio Mundo
Mar Despedaçado #2
Autor: Joe Abercrombie
368 Páginas



Sinopse: Thorn Bathu não é uma garota comum. Mesmo tendo sido criada numa sociedade machista, ela vive para lutar e treina arduamente há anos. Porém, após uma fatalidade, ela é declarada assassina pelo mesmo mestre de armas que deveria prepará-la para as batalhas.

Para fugir à sentença de morte, Thorn se vê obrigada a participar de um esquema do ardiloso pai Yarvi, ministro de Gettland. Ao lado dela se encontra Brand, um guerreiro que odeia matar, mas encara a jornada como uma chance de sustentar a irmã e conquistar o respeito de seu povo.

A missão dos dois é cruzar meio mundo a bordo de um navio e buscar aliados contra o Rei Supremo, que pretende subjugar todo o Mar Despedaçado. É uma viagem desafiadora, em que Brand precisa provar seu valor e Thorn fará o necessário para honrar a memória do pai e se tornar uma verdadeira guerreira.

Guiando os personagens por caminhos tortuosos em busca de amadurecimento e redenção, Joe Abercrombie mais uma vez nos maravilha com uma história grandiosa, que se sustenta sozinha por seu vigor, mas também dá continuidade à saga de Gettland e Yarvi. Finalista do prêmio Locus, Meio Mundo deixará o leitor na expectativa do desfecho desta série épica.
Que eu sou uma leitora assídua de fantasia acho que não novidade para ninguém, assim como o fato de que Joe Abercrombie é um dos meus autores preferidos do gênero. O que vocês talvez não devem saber é que depois de tantas leituras do mesmo autor fica difícil não soar repetitiva nas resenhas de seus livros. Notei que apesar de haver em Abercrombie um talento inato para criar histórias fantásticas, suas narrativas são bem características, seguindo basicamente um mesmo rumo. Seus personagens apesar de únicos nos fazem lembrar de outros sobre os quais o autor já escreveu antes e isso pode tornar a leitura mais do mesmo, ainda assim o autor não cai na mesmice e consegue surpreender. Na narração de Meio Mundo isso acontece novamente e eu poderia dizer que isso estragou minha experiência com a narrativa, mas esse não é o caso.

Este segundo livro da trilogia Mar Despedaçado se passa poucos anos depois dos acontecimentos finais de Meio Rei. Aqui temos a história de Thorn Bathu, uma jovem que sonha em tornar-se guerreira juramentada. Ela tem uma força e uma ferocidade inata e em nada lembra as garotas de sua idade. Infelizmente depois de um terrível infortúnio ela vê suas esperanças despedaçadas, a única forma de não perder a vida é aceitando participar de um dos esquemas de Pai Yarvi. 

O personagem que protagonizou o primeiro livro da saga continua sagaz e inteligente e não mede esforços para que o destino seja favorável aos seus desígnios. Para que seus planos deem certo ele novamente se entrega em uma jornada com uma tripulação nem um pouco convencional e vai rodar meio mundo para que sua vontade e sabedoria prevaleçam no fim. Junto a ele além de Thorn nos deparamos com alguns outros personagens já conhecidos, outros que dão o ar da graça pela primeira vez e que também mostram seu valor. Entre eles está Brand, um rapaz valoroso e corajoso a seu modo que anseia por fazer o bem, na minha opinião um dos melhores personagens do autor até agora. Assim como em Meio Rei Joe Abercrombie apresenta uma gama de personagens que não são apenas enfeites.
"– Um homem que dedica todos os pensamentos a fazer o bem e nenhum às consequências... – Pai Yarvi levantou a mão deformada e pressionou o dedo torto contra o peito de Brand. – É um homem perigoso."
A diferença entre Meio Rei e Meio Mundo está na agilidade e ação, acredito que por Thorn ser uma personagem mais voltada para o combate do que Yarvi a narrativa tenha um ritmo diferente. Ela é bruta e intempestiva, acompanhar o crescimento da personagem é uma das melhores coisas do livro, mesmo quando ela mostra que não aprendeu tudo que deveria. Apesar disso é perceptível como o cerne de toda a obra é o Ministro de Gettland, o jovem que conhecemos em Meio Rei cresceu como homem e personagem, o curioso é que normalmente em livros de fantasia a figura do sábio e manipulador é um velho com muitas vidas a mais do que os "pequenos" guerreiros, isso não acontece aqui. 

Com o decorrer da trama vamos percebendo o quanto tudo se desenrola de acordo com as ambições de Yarvi, o jovem ministro que abdicou de muita coisa e jurou demasiadamente. É distinto como ele manipula seus aliados para um devido fim, é como se ele fizesse a história. Confesso que no início tive certo desprezo pelo personagem, que a meu ver não tinha se tornado o que esperava dele, contudo no decorrer da narrativa me acostumei com seu jeito e compreendi suas intenções.
"A lei é mais Mãe Oceano do que Pai Terra, sempre muda. A lei é uma marionete na mão de um titereiro, Brand, ela diz o que eu digo que ela diz."
Enfim, Meio Mundo é uma narrativa ágil, com uma trama que vai se emaranhando aos poucos, uma história em que tudo acaba por fim se interligando, com personagens cativantes e assustadores a seu modo. Uma fantasia épica com o melhor do gênero e escrita por um dos mais talentosos autores do ramo. Definitivamente estou ansiosa para que publiquem o mais rápido possível Meia Guerra, mas ao mesmo tempo não queria ter que me despedir da serie, uma controversa e tanto não é não?
 

Um comentário:

  1. Oi, Ju!!

    Ainda não comecei a ler essa série, mas estou super empolgada. Minha amiga está lendo e está gostando muito, pretendo pedir emprestado em breve. Hehehe

    Mas sua resenha está ótima e me deixou com mais vontade ainda! :)

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário, ele será respondido assim que possível :)