segunda-feira, outubro 05, 2015

[Resenha] Tudo e todas as Coisas - Nicola Yoon

Existem alguns livros que chamam atenção sem precisar de muito, as vezes eu nem ao menos leio a sinopse, mas no caso do livro que vou falar hoje isso foi inevitável! Recebi da Editora Novo Conceito a oportunidade de ler e resenhar "Tudo e todas as Coisas" antes do lançamento nacional. Primeiramente o livro me chamou atenção pelo nome, depois pela capa, e por fim a sinopse me convenceu. O balanço final dessa leitura vocês leem abaixo!
Tudo e todas as Coisas
Autora: Nicola Yoon
Editora Novo Conceito
Previsão de Lançamento: 20/11/2015
Skoob


Sinopse: Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa nunca sai em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostuma com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre.

A última resenha de um sick-lit que envolve romance que fiz aqui no blog (Zac e Mia) comentei que esse gênero já não me agradava muito, pois todos as histórias pareciam seguir a mesma linha. Bom, agora eu estou pagando com a língua, pois Tudo e Toda as Coisas veio para me surpreender e mostrar que é sim possível inovar em uma mesma temática. Neste caso nossa protagonista não está sofrendo de uma doença terminal, contudo ela não pode sair de casa devido a sua frágil tolerância ao ambiente, Madeline sofre de uma rara doença que faz com que alergias se espalhem pelo seu corpo quando está exposta a qualquer tipo de ambiente não purificado. Por esse motivo ela passou todos os 18 anos de sua vida dentro de sua própria casa, sem contato com o mundo exterior ou com outras pessoas. Seus únicos amigos são sua mãe, sua enfermeira Carla e os livros que lê, até que uma nova família se muda para a casa ao lado e Maddy começa a ansiar desesperadamente por contato e por viver uma vida normal, mas se apaixonar pode ser muito perigoso e cruel devido a sua condição.
"- Tudo é um risco. Não fazer nada é um risco."
Com uma premissa dessa é impossível não se sentir tentado a ler esse livro, foi assim que me senti quando recebi a oferta de lê-lo antes do lançamento. Parece impossível que a situação pela qual a protagonista passa tenha uma solução, já que Maddy não pode ter contato com outras pessoas. Então, passei boa parte do livro em uma angústia terrível, achando a autora cruel por nos apresentar um amor tão puro e perfeito para que no fim as coisas não dessem certo, o que algumas vezes é comum em sick-lit. Porém, Yoon conseguiu criar uma história tão cheia de sentimentos, pura e ao mesmo tempo empolgante que impossível comparar com qualquer outro livro que eu tenha lido. 

Costumo dizer que os livros que mais amo são os que me fazem passar por diversos estágios emocionais, e esse foi o caso de Tudo e Todas as Coisas, ele me despedaçou, me fez rir, me deu esperança, e me surpreendeu de uma forma maravilhosa. Mas também me fez sentir raiva e impotência diante de algumas situações. Existe algo na narrativa que não irei falar para vocês porque seria um baita spoiler, mas em determinado momento da leitura eu comecei a ter desconfiança de uma certa pessoa e o egoísmo que essa atitude representava me deixou assustada. 

Apesar disso, este é um indicativo da genialidade da autora não só com a história mas também com relação aos personagens. Nicola Yoon criou personalidades distintas, contudo acho que pecou um pouco com relação a Maddy, ao meu ver devido a forma como foi criada ela deveria ser uma personagem muito mais inocente do que é, mas de certa forma gostei do modo como ela construiu a personagem. Sentimos a ânsia de liberdade que emana dela, sua coragem e a força para enfrentar seus problemas. Já Olly é um caso a parte, que personagem incrível e perfeito, ele não é só um amor, mas fiel, companheiro e determinado e apaixonado, me encantei por ele desde o primeiro momento. Outro personagem de destaque é Carla, a enfermeira de Maddy, que tem um papel muito importante na trama e que trás um conceito de vida que acredito que todos nós deveríamos seguir. Se há algo em que a autora pecou foi no final da narrativa, mas não porque ele não seja perfeito, mas sim porque quando acabei de ler o livro eu precisa de mais, foi difícil me despedir.

Enfim, Tudo e Todas as Coisas, não é apenas um livro sobre uma garota doente que anseia pelo mundo, na verdade essa é uma história sobre a vida e como podemos fazê-la ser o melhor possível. Favoritei o livro, contudo não dei nota máxima pois ainda não tenho em mãos a versão final, mas tenho absoluta certeza que a Editora Novo Conceito vai caprichar tanto na revisão como na diagramação. Aconselho aos leitores de Jovem Adulto que corram para as livrarias assim que esse livro estiver disponível, esta história é tão absorvente que a devorei em poucas horas, vocês não perdem por esperar, vale muito a pena. Ah, e a cargo de curiosidade os direitos cinematográficos foram comprados pela MGM, não vejo a hora de ver essa belezura nas telonas!
Melhores Quotes:

"- Eu não estou apaixonada. Não posso estar apaixonada.- E por que não?- Qual seria o sentido disso? - digo, jogando as mãos para o ar. - Uma pessoa como eu apaixonada seria como um crítico de comida sem pupilas gustativas. Seria como um pintor que vê tudo em preto e branco. Seria como...- Uma pessoa que nada pelada sozinha."

"Às vezes você faz as coisas pelos motivos certos e em outras pelos errados. Há ainda aquelas vezes em que é impossível saber a diferença."

"De acordo com a teoria do Big Bang, o universo surgiu em um único instante - um cataclismo cósmico que deu origem aos buracos negros, às anãs marrons, à materia escura, à energia e à energia escura. Ele deu origem às galáxias, às estrelas, às luas, aos sóis, aos planetas e aos oceanos. É um conceito difícil de ser compreendido - a ideia de que houve um tempo anterior à nossa existencia. Um tempo antes do tempo. No início, não havia nada. E então, de repente, havia tudo."

" A matemática do Olly diz que a gente não pode prever o futuro. Acabei descobrindo que também não podemos predizer o passado. O tempo passa  em ambas as direções - para frente e para trás - e o que acontece aqui e agora muda o que passou e o que ainda virá."

16 comentários:

  1. Olá!
    Vou seguir seu conselho e correr atrás dele assim que possível! Amo essas histórias tão puras e cheias de ingenuidade no amor, e passar por vários estados emocionais só nos prova como a autora é uma pessoa sensível e genial por conseguir passar tanto sentimento para os leitores. Amei a resenha!
    BeiJU!

    Paixão de Leitora | Fanpage

    ResponderExcluir
  2. Eu estou de olho nesse livro desde que ele foi lançado mês passado lá nos EUA.
    Só não gostei porque eles mudaram a capa. Acho a internacional bem mais bonita. E o título adaptado também não me convenceu tanto.
    Gostei muito da sua resenha. Já sei o que posso esperar das minhas reações quando eu lê-lo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Oie!
    Mentira que esse livro vai ser lançado por aqui :O Estou de olho nele há algum tempo e se não fosse por a autora ter um nome um pouco diferente nunca ia saber que ambos são os mesmos livros. Confesso que odiei a capa! Achei tão feinha :\ A tradução do título eu até gostei, mas essa capa com certeza me manteria longe.
    Mal vejo a hora de poder lê-lo e espero gostar tanto como você (:

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bom? Eu simplesmente amei! Jamais imaginaria algo assim, como pode haver um romance com alguém tão sensível, ela alérgica ao mundo! Lembro que uma vez usei essa expressão aqui em casa (sou alérgica, minha mãe é, meu marido e minha filhota também)...Enfim, achei muito legal, fico imaginando as situações estranhas que irão acontecer e como isso vai dá. Ainda não li nenhum sick-lit, acho que vou começar por esse. Sua resenha está ótima, beijos!

    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Simplesmente adorei! Segunda resenha que leio hoje desse livro e pode ter certeza que irei correr comprar esse livro assim que possível.
    Como você a premissa do livro me surpreendeu, ao ver que a autora inovava na doença abordada, que não é terminal, mas pode ser tão cruel quanto. Viver isolada, sem contato com o mundo parece algo que para nós, é irreal, e extremamente doloroso conforme vamos nos aprofundando na personagem e na paixão que ela passa a nutrir. Emoção e crueldade parecem transborda das páginas, mas de forma belíssima e viciante.
    Estou ansiosa como nunca para que ele seja lançado, quero muito conferir essa história e sentir sentimentos tão contraditórios, mas tão iguais em intensidade. Espero não me decepcionar, a história tem potencial para se tornar uma das minhas favoritas.
    Sua resenha está ótima.
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Oi, a segunda resenhe e amei as duas você sabe escolher mesmo as historias para contar,eu sou uma pessoa que julga os livros pela capa e o titulo e o daí é simplesmente perfeito amei "Tudo e todas as Coisas". Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ju! Tava dando uma olhada no Skoob da editora e vi que eles adicionaram este livro, curiosa li a sinopse mas confesso que em um primeiro momento ele não me chamou a atenção. Confio bastante no seu gosto literário pois vejo que o seu gosto é bem semelhante com o meu e agora eu fico na duvida se irei ou não solicitar este livro. Tenho um certa birra com sicklit e por isso a duvida é tão grande, mas por outro lado você me deixou curiosa. Beijos
    SIL | Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  8. Também amo livros que me fazem passar por diversos estados emocionais, e acho que isso vai me conquistar nesse. Odeio quando me fazem ficar apaixonada por um livro e aí ele acaba e tenho que me despedir... mas odeio mais ainda quando inventam outros livros desnecessários, então vou me preparar para esse final perfeito que deixa saudades. Nunca tinha ouvido falar do livro, e aí você me conta que até filme ele vai virar... rs... só me resta ler.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  9. Ju já quero ler, engraçado como muitas pessoas só querem viver e não podem, e outras desperdiçam a vida com sentimentos mesquinhos como os que comentou na resenha, fico imaginando com será se apaixonar nessa situação e quais sentimentos a protagonista deve sentir. Dica mais que anotada. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem? Bela resenha! Esse não é o meu estilo de leitura, mas parece ser uma obra que os fãs do gênero adoram. Da para ver pela forma que você escreveu sua resenha, que por sinal esta bem completa. Parabéns.
    Beijos


    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  11. Oi Ju, sua linda, tudo bem
    Os livros que me tocam dessa forma, como esse te tocou, geralmente são os que levo para toda a vida, se a autora conseguiu fazer isso, já me ganhou. Estou aqui imaginando uma forma de ela amar, ter uma vida um pouquinho "normal", mas não consigo enxergar uma saída. Você me deixou super curiosa para descobrir o que a autora fez, pois eu não consigo imaginar. Só acho que eles deveriam mudar essa capa. Sua resenha ficou ótima e não vejo a hora de ler o livro!!!!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Ju, tudo bem?

    Você conseguiu me deixar absolutamente curiosa e com muita vontade de ler esse livro. Costumo gostar de sick-lit, mas esse parece ser bem diferente... começando pela doença da protagonista, sério, não me imagino vivendo como ela, e quero saber como a autora conseguiu conciliar o romance com as limitações da Maddy.

    Os personagens parecem ser bem construídos, e já gostei do Olly. E achei interessante a Maddy não ser a personagem bobinha e inocente e que acha que tudo é maravilhoso, por ter ficado toda a sua vida presa em casa. Não achei tão irreal assim, é a vontade dela ser uma pessoa normal.

    Adorei a resenha e os quotes são maravilhosos!! Que seja lançado logo!!

    Beijinhos,

    Rafa // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  13. Oi Ju, tudo bem?
    Que livro é esse? Fiquei interessada só lendo a sinopse, daí você vem com essa resenha e quase me mata de tanta vontade de conhecer essa história. Deve ser bem difícil para a personagem ter alergia a tanta coisa e viver afastada de tudo e todos por isso, nem consigo imaginar viver assim. Dica anotada.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?

    Não acho que só os sick-lit estejam seguindo a mesma linha, todos os livros de todos os gêneros estão. Os autores hoje em dia estão optando por pegar algo já trabalhado e mudar um pouco do que criar algo novo. Não acho isso ruim, pois já li excelentes obras cujos autores fizeram isso, mas é bom criar algo do zero às vezes. Mesmo com a genialidade da autora e a capacidade que ela teve de te fazer passar por uma montanha russa de sentimentos, esse livro não é para mim. Não gosto de S-lit desde antes de lançarem ACEDE e continuo não gostando rsrsrs. Parabéns pelo texto.

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Ju!
    Todo sick lit já é bem emotivo. Quando é em fase terminal, até já vamos preparados, porque sabemos mais ou menos como será o final.
    Agora quando o enredo envolve uma garota jovem e com drama tão profundo, dá mesmo curiosidade para ler e saber como tudo vai se desenrolar em sua vida, principalmente com a nova perspectiva de ter um amigo bem próximo.
    “A gratidão é o único tesouro dos humildes.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  16. Ju, fiquei bem curiosa para ler esse livro, não tanto pela situação da protagonista, mas pelo desenvolvimento do seu romance com o vizinho... será q sou louca? kkkkk, quero ler romance dentro de um sick-lit!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário, ele será respondido assim que possível :)