terça-feira, novembro 01, 2016

[Resenha] Homens Elegantes - Samir Machado de Machado

Homens Elegantes
Autor: Samir Machado de Machado
Editora Rocco
576 páginas
Skoob


Sinopse: Escritor e roteirista nascido em Porto Alegre, Samir Machado arrebanhou elogios da crítica com o romance Quatro soldados. Agora, em sua estreia na Rocco, o gaúcho confirma que é uma das vozes mais originais da literatura nacional com um romance histórico que se filia à melhor tradição do gênero. Na trama, um soldado brasileiro é enviado a Londres com a missão de investigar uma rede de contrabando de livros eróticos para o Brasil, em 1760, e se deslumbra com os luxos e excessos da alta sociedade europeia. Uma legítima aventura de capa e espada, com direito a duelos e perseguições a cavalo, apimentada pela literatura pornográfica iluminista e pelo universo LGBT do século XVIII. A obra foi adquirida para adaptação cinematográfica pela RT Features, responsável por sucessos internacionais como Frances Ha, de Noah Baumbach, entre outros.
Quando me deparei com Homens Elegantes entre os lançamentos da Editora Rocco eu tive certa dúvida quanto a solicitá-lo ou não, por um lado parecia ser exatamente o tipo de literatura que me atrai, por outro talvez a escrita do autor fosse cansativa ou poderia ser simplesmente algo pelo qual eu não estava esperando. Havia muitos "e se...?". Felizmente logo na primeira página o livro já me surpreendeu, tanto em sua edição quanto em sua originalidade. Acostumada como estou a ler literatura histórica é até um sacrilégio dizer que nunca havia prestado atenção nos autores nacionais do gênero, portanto raramente li algo que se referisse ou se ambientasse no Brasil, o caso aqui é o primeiro sendo que a narrativa se passa mesmo em Londres, porém é tanta brasileirice que é impossível não haver identificação.

Érico Borges é um jovem soldado brasileiro, enviado ao velho mudo para investigar o contrabando de livros eróticos para o Brasil Colônia. Sua busca o leva a Londres e a sociedade macarroni do séc. XVIII. Disposto a desvendar os segredos que levam ao crime Érico se vê deslumbrado com o luxo londrino, porém discreto como é passa a circular pelo submundo do amor, desfilando seu eu mais livre, aquele que a muito custo manteve a margem durante toda a sua vida. Em meio a isso acaba por fazer um grande inimigo, o conde Bolsonaro, um nobre sem escrúpulos e por vezes fanático em seus ideais é também implacável e não medirá esforços para atingir seus objetivos, independente de quem sejam as partes prejudicadas.
"[...] O mundo é cruel, lhe dizem. Não, o mundo é indiferente, são as pessoas que decidem serem ou não cruéis."
Não eu não acho que o resumo acima faça jus a essa obra, na verdade é extremamente complicado condensar algo tão rico quanto Homens Elegantes. A magnificência dessa história está em sua despretensiosidade. Com uma narrativa que mescla humor e tensão, profundidade e superficialidade o autor conduz o leitor para um século que não parece muito distante do qual vivemos agora, um cenário histórico que nos remete ao nosso próprio tempo quando se trata de intolerância. Cheguei a me sentir indignada em diversos momentos, enquanto observava o quanto o medo do desconhecido pode tornar uma sociedade cega e cruel. Contudo ao mesmo tempo Samir Machado de Machado suaviza sua obra com a essência de seus personagens, tiradas inteligentes e momentos sensuais. E em questão de personagens o livro está muito bem servido. Deparamos-nos com diversas personalidades durante a obra, caracteres essenciais e que por si só são essência. Apesar da gama de personalidades cada um dos personagens se torna único e reconhecível facilmente.

Não posso deixar de mencionar a forma inteligente como o autor utiliza certas reflexões e ideias, como usa seus personagens e suas opiniões para expor assuntos de extrema importância na obra, bem como filosofias e ideais. Confesso que em alguns momentos divaguei e precisei retomar a leitura para me encontrar, mas ainda assim não posso dizer que não sejam argumentos bem fundamentados. Além disso, há nesta obra uma carga crítica impossível de não identificar, principalmente com relação à forma como o Brasil sendo colônia na época parece tão pura e simplesmente atual, visto que ainda somos vítimas da falta de investimento essenciais como educação e saúde. Não há como negar que independente do momento em que se ambienta Homens Elegantes está mais próximo da nossa realidade do que podemos imaginar.
"- O Brasil está abandonado, senhor; de lá tudo se tira, e nada se constrói. Nossa gente é deixada a míngua e se contenta com o que tem."  
Algo que me chamou atenção na obra e até me confundiu em certo momento é com relação à estrutura das cenas de batalha, na qual o autor me disse que buscou representar o caos do momento, para o leitor mais desatento, como eu me encontrava durante essa parte da leitura, pode passar despercebido a ideia estrutural dessa narrativa que divida em duas partes de uma mesma folha narra pontos de vista diferente do mesmo embate. Queria explicar que quando digo desatenta não quero dizer que não estava concentrada nos acontecimentos, mas vendo agora penso que estava envolvida demais para me ater a este detalhe, concentrada em outro ponto que não a estrutura do texto.

Enfim, sinto que por mais que eu tenha tentado me expressar bem quanto a tudo que este livro me passou acabei deixando muito de lado, então me coloco a disposição para discutir e falar mais sobre a obra, pois sinto que há muito ainda há ser dito. No mais Homens Elegantes é uma obra original e reveladora, com uma narrativa gostosa e despretensiosa, é um romance de entretenimento que traz junto a si muito conhecimento e um pedaço de uma característica tão comum a nós brasileiros, a mais pura e simples brasilidade. Eu recomendaria este livro há todos que me pedirem um bom romance de capa e espada, uma literatura histórica ou simplesmente para quem estivesse em busca de um excelente livro.
"[...] Não há problema em se ter medo, e você não diminui aos meus olhos por admitir isso. Você não precisa ser forte o tempo todo, Érico.Eu posso ser forte por nós dois, quando você precisar que eu seja." 

9 comentários:

  1. Não conhecia o livro mas pela sua resenha me pareceu super interessante.
    Infelizmente não me fisgou ao ponto de ter vontade de ler o livro - acho que por estar muito no fim do ano e eu estar com alguns títulos mais atrasados do que eu gostaria, estou um tanto que mais seletiva em minhas escolhas. Outro ponto é não parecer muito meu tipo de livro - então ele entraria na lista para cumprir algum desafio ou meta - então é uma boa dica para isso.
    Achei muito interessante seu comentário sobre estar envolvida na leitura e não perceber a estrutura do texto (me pareceu que a narrativa é envolvente que nem notamos alguns detalhes).
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  2. Que legal ver um livro de autor nacional e contemporâneo com essa qualidade e originalidade! Fiquei muito interessada e já coloquei na minha lista de desejos da Amazon!

    Um fato que eu achei perfeitamente irônico foi o nome do Conde, Bolsonaro, por razões óbvias. Mais um motivo para ler, na minha humilde opinião.


    Bjs! :)




    tamiresdecarvalho.com

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Quando vi o lançamento pela editora acabei nem dando muita bola pelo fato de a capa não ter me atraído em nada (achei feia mesmo).
    Mas lendo sua resenha, percebo que a obra tem uma riqueza indescritível e fiquei muito curiosa para conferir as cenas de batalha e ver se alguns desses detalhes também passariam despercebidos por estar focada na trama em si e não na estruturação da narrativa.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olha, Ju, vou ser bem sincera, me interessei pelo livro quando comecei a ler a sinopse, aí desisti quando cheguei na parte que diz "apimentada pela literatura pornográfica iluminista". Aí você disse na resenha que a essência dos personagens, tiradas inteligentes e momentos sensuais suavizam a obra. A verdade é que curto esse tipo de livro, mas essa parte sensual me dá uma preguiça absurda. Não sei mesmo se um dia me animarei a ler, apesar de parecer incrível.

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha, Ju!!!
    Também gosto muito de romances históricos, mas confesso que li poucos títulos nacionais. Em sua maioria, li apenas livros reportagens que tratavam de algo histórico e não um romance mesmo.
    Então estou muito feliz por ter encontrado um título que parece ser tão bom assim!!
    Com certeza vou adicionar na minha lista!! ;)

    Bjs!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá Ju, não é um livro que eu leria e a sinopse também não me chamou nada a atenção, apesar de eu ter gostado bastante da capa.
    O que me chamou a atenção foi o fato de ter um personagem chamado Bolsonaro, fiquei com curiosidade de lê-lo para ver se tem alguma relação com o atual Bolsonaro. Gosto de livros que se passem em uma época diferente da nossa mas que estabelecem alguma relação com a atual.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oiee Ju ^^
    Como eu amo livros históricos, eu bati os olhos nessa obra quando a vi no catálogo da editora, mas acabei desistindo de pedir. Eu não sabia que o autor era brasileiro *-* é um livro que eu ainda quero ler, e ver que você gostou me deixou ainda mais animada. Espero gostar também.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  8. Adoro livros históricos e apesar de gostar e sua resenha bem detalhada, não me interessei muito pela leitura, mesmo com essa originalidade e investigação. Alguns livros e acontecimentos nos deixam incomodados com o rumo que as coisas tomam, te entendo rs'
    Não sei se leria, mas por hora não.
    Achei a capa muito linda e a meu parecer tem tudo a ver com a história.

    beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá. Obrigado pelas palavras gentis, fico feliz que tenha gostado!
    Abraços,
    Samir

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário, ele será respondido assim que possível :)